cultura

Inauguração da exposição temporária: CÂNONE DA HARMONIA, Margarida Santos

cacone-harminiaFeito estátua de bronze cor antracite fogo
Fogo que funde dois corpos dos pés até ao beijo.
Aurora Gaia, in Cânone da Harmonia

Em Cânone da Harmonia, escultura em bronze (2160x600x600), Margarida Santos conjuga o material e a mestria com a sensualidade e o Ser, de uma forma sublime que permite considerar este trabalho como a sua obra-prima de excelência.
Margarida Santos Nasceu em 1946. Obteve a Licenciatura em Escultura na E.S.B.A.P., 1968. Foi bolseira da Gulbenkian antes e depois do Curso. Foi professora entre 1968 e 2006. Orientadora pedagógica da Direcção Geral do Ensino Básico; Orientadora da equipa da Educação Visual da Telescola; Autora, apresentadora e colaboradora de programas culturais da imprensa, da rádio e da televisão; directora artística da Galeria da Praça. Autora de obra pública e privada na área da Escultura: bustos, retratos, relevos, troféus, múltiplos, medalhas e monumentos; de programas radiofónicos e de artigos de opinião, crítica e crónicas na imprensa falada e escrita; de textos críticos para catálogos de exposições. Responsável por cursos para orientadores de professores, filmes pedagógicos e didácticos, diaporamas. Autora e ilustradora de poesia e de obra gráfica. Autora de monumentos de grande escala implantados no país e no estrangeiro. Realizou dezenas de exposições individuais dentro e fora do país. Participou em centenas de mostras colectivas. Desde 1968 até à actualidade desenvolve profícua actividade na área Literária e nas Artes Plásticas - escreve, desenha, pinta e sobretudo esculpe. A sua casa-atelier situa-se em Canelas, Gaia.
Recordo o que disse aquando da minha primeira visita ao seu atelier: Porque vale pela sensualidade, pelas formas, pela estética... Enfim, pela Arte! Margarida Santos, porque vale bem a pena para balizarmos o BOM!
Cânone da Harmonia irá estar patente ao público no Espaço Projectos Memorium – Jardim de Inverno do Museu da Fundação até ao dia 31 de dezembro de 2016, como força motriz que impulsará diálogos sobre a Arte como génese e fruição do Ser.

Catálogo: Cânone da Harmonia, Margarida Santos